Pixelmator

Foi anunciado nos últimos tempos um bom programa de edição de imagem, chamado Pixelmator, para Mac.

Assim de repente, tendo em conta este vídeo e mais umas coisas que por aí vi, cheguei à bela conclusão que algo de muito estranho se passava aqui. Passo a explicar.
Quando o programa foi anunciado, ainda em fase de testes, liam-se frases como “TOTAL PHOTOSHOP KILLER!” por esses belos sites de culto dos mac zealotes que por aí andam aos molhos. Na altura achei que seria finalmente um programa intermédio de tratamento de imagem, não tão completo como o photoshop, mas também quem é que precisa do photoshop no dia a dia. Depois comecei a ver screenshots da coisa, e achei no mínimo “estranha” toda a disposição do programa. Estranha porque é basicamente a disposição do GIMP, e todos sabemos que o GIMP não presta porque ninguém gosta da disposição daquilo.

Mas então espera lá … Então mas se o pixelmator é precisamente igual ao GIMP no layout, e toda a gente está a dizer que aquilo é uma maravilha, não deviam também as pessoas gostar do GIMP? Será por causa dos zealots/mac fanboys, que como aquilo é um produto para o MAC já é a melhor coisa do mundo? Há, realmente, algo de muito oscuro e rebuscado na mente deste pessoal …

Ps: eu estou bem a par das capacidades do pixelmator, e não estou a comparar com o GIMP a nível de features (se bem que mesmo aí não haja grande diferença). Estou sim a fazer uma comparação a nivel de interface, onde são os dois precisamente iguais.

Ps2: por acaso estes dudes não terão pegado no gimp e desenvolvido o pixelmator a partir daí? Just wondering …

Parem lá com isso

A propósito dos resultados que me aparecem nas estatísticas nos últimos tempos, tenho algumas considerações a fazer.

Primeiro, não conheço nenhuma pita nua, nunca estive com nenhuma pita nua nem em qualquer caso isto é um blog onde se fale de pitas nuas. Jamais.

Também não é um blog onde se arranjem cracks para o windows vista, nem qualquer tipo de ilegalidade para esse maravilhoso sistema … bem … operativo, penso que lhe podemos chamar assim. Se o quiserem activar, comprem-no, ou comprem um maravilhoso computador/portátil que já o traga incluído no preço mas que vocês pensam que é oferecido.

Certamente não é um blog onde se dê tráfego ilimitado, nem muito menos onde se arranjem torrents de filmes porno, e nunca, em qualquer ocasião, se vai aqui falar de como arranjar o filme da Paris Hilton de borla.

Posto isto, vamos lá a ver se deixam de procurar coisas estúpidas no google e vêm cair aqui, este que é um blog sério, de gente com valores familiares, pessoas sérias, portanto.

Origami - como fazer um “tsuru” (cisne)

Antes de mais, gostaria de expressar as minhas desculpas pela pouca actualização do blog nos últimos tempos. O tempo não dá para tudo, há fases em que se tem mais vontade de postar, outras nem por isso, e tal como agora, quando o tempo é escasso e falta um pouco de vontade para arranjar 5 minutos por dia para ir actualizando. Enfim, melhores dias virão.

Quanto ao objectivo do post, saibam pois vocês que sou altamente “viciado” em dobragens de papel, mais especificamente os origamis. A partir de agora vou deixando aqui alguns sites e vídeos com diversos recursos sobre origamis, desde os mais simples até verdadeiras obras de arte.

Para começar, e porque sei que metade do universo está vidrado com a série Prision Break (not me), deixo-vos um vídeo de como fazer um tsuru, ou ave da sorte, que a personagem Michael Scofield faz quando está dentro da prisão.

Link para o vídeo (para leitores do feed que não possam ver o vídeo).

Novo Zune

Zune Family

Os novos Zune estão aí, e diga-se que desta vez a Microsoft fez alguma coisa de jeito.

Primeiro, reduziram bastante o tamanho algo avantajado do anterior modelo. Depois, fizeram uma distinção entre modelos. Dois modelos flash com 4 e 8GB, a $150 e $200 respectivamente, em várias cores (rosa, verde, preto e vermelho). Temos depois o modelo maior, com ecrã de 3,2′ e 80GB de capacidade a $250 (belo preço). De realçar também que o modelo anterior de 30GB vai continuar a ser vendido, recebendo um upgrade ao software para ficar equivalente aos actuais, e a um preço muito bom ($180 na amazon). Aqui a Microsoft dá um pontapé do tamanho do mundo na hipocrisia e no “estou-me literalmente a cagar para os clientes” que tem assolado a Apple …

Podemos ter podcasts, de vídeo e música, sincronizados com o pc via wireless (grande, grande feature) e podemos enviar mais conteúdos para outros zunes que não músicas, se bem que estas continuam com a limitação de só poderem ser tocadas 3 vezes para quem as recebeu.

O Zune marketplace (estilo itunes store) foi melhorado, contando agora com cerca de 3 milhões de músicas e, imagine-se, vai ter música DRM-FREE … wow …

A nível de vídeo já vai suportar codecs decentes (h.264 e MPEG4) e vai ser possível sincronizar, por exemplo, série que tenhamos no windows media center (cofcof) para vermos no zune. Bela feature, para quem utilizar a coisa …
Quando abrimos um vídeo o leitor passa automaticamente para o modo panorâmico, entre outras novidades.

A roda que controla o aparelho foi melhorada e agora é sensível ao toque (onde é que eu já vi isto) e parece ser mais prática.

Enfim, conseguiram revitalizar um produto que estava meio morto, e conseguiram meter features que marcam alguma diferença para o principal líder do mercado, se bem que com o último ipod touch a coisa tenha evoluído de forma assinalável (tirando a capacidade reduzida do disco).

Os preços dos novos zunes estão na linha dos produtos de outras marcas, e acho que aqui poderiam ter esticado mais um pouco a ambição, baixando um pouco os preços, elevando automaticamente o patamar … Foi pena, mas acima de tudo parece-me que os novos zunes são um bom produto, com certeza, se bem que com aquele estigma dos tempos que correm em que tudo o que venha da Microsoft é mau … Quanto a isto, já tenho um post meio preparado … É que há outra grande marca, que por sinal está na moda, e que está a fazer merd@da grossa.

Caça à pirataria?

Como parece estar na moda o encerramento de portais de torrents desta vez calhou ao demonoid a sorte grande, vinda de uma organização Canadiana (CRIA, as in Canadian Recording Industry Association). Ora o que é que se faz nestas situações?
Aparentemente seguiram pelo mesmo caminho do isohunt, que está a bloquear ligações ao seu tracker vindas dos USA, e estão a bloquear o acesso ao tracker a todos os utilizadores canadianos. Simples, e assim calam os paus mandados das multimilionárias editoras de cinema e música.

Por cá, diz que parece que o tal de btuga, que também foi fechado pela polícia, se … reestruturou, mudando de nome, e pouco mais …

Downhill … universitário

E agora para algo completamente diferente, a descida do edifício central da Universidade da Beira Interior de BTT, estilo downhill.

Ps: não, isto não foi autorizado :)

Página Seguinte →

Close
E-mail It